segunda-feira, 18 de fevereiro de 2008

Kosovo

Não tenho nenhuma imagem do Kosovo nem tenciono ir lá tão depressa mesmo que conseguisse aí ficar ou sair com a minha integridade física assegurada.

O Kosovo tem 10887 Km2, cerca de um terço do Alentejo(!), cerca de um nono de Portugal.

Em tempos a maioria da população era sérvia. Com a primeira guerra mundial milhares de sérvios fugiram perseguidos por albaneses, com a 2ª guerra mundial os italianos e depois os alemães ajudaram à limpeza étnica. Com a desagregação da Jugoslávia e o bombardeamento de Belgrado rebentou novamente a crise do Kosovo, território reconhecido internacionalmente como fazendo parte da República Sérvia. Interveio a NATO, depois de uma campanha sobre as valas comuns e seguiu-se nova fuga em massa. Da Albânia, que antes era o farol do comunismo mais maoísta que a própria China e que tanto espantou certos jovens e hoje mandantes da União Europeia, vieram milhares de pessoas, com as respectivas máfias que ocuparam as casas vagas.
A KFOR tem vigiado o mínimo. O Kosovo vive da ajuda internacional; a maior parte do dinheiro fica pelo caminho e os restos nas mãos das novas elites albanesas.
O Kosovo continua com o mesmo território, os sérvios continuam a fugir, os ciganos nem se fala, os turcos kosovares e as outras minorias não albanesas o mesmo, e até os albaneses que têm a mania do respeito pelas leis e pelos direitos também. A ajuda internacional continua igual ou pior, o desemprego e a desocupação semelhantes (mais de metade da população), estado quase não existe. Máfias sim, as da Âlbânia e do Kosovo que dominam grande parte do tráfico humano na Europa, além de outros negócios de cocaína e similares, só superados pela N'Dranghetta do Sul de Itália (que tem mais negócios destes que a Camorra Napolitana ou a Máfia Siciliana).

E torna-se independente!

O que se virá a seguir?
O País Basco. Por que não? É das zonas mais ricas de Espanha.
A Catalunha? Por que não? É um dos motores da economia espanhola e já quase ninguém aí fala castelhano.
A Irlanda do Norte? Há séculos que eles lutam contra os ingleses.
A Córsega?
A Flandres? Por que não? É a zona mais rica da Bélgica, já ninguém aí fala francês; a Bélgica há meses que não tem governo central.
O Norte de Itália?
República turca de Chipre ? Também já proclamou a independência há uns bons anos.

E se a Alemanha começar outra vez a exigir territórios da Polónia?

E se na Rússia começarem a exigir a independência de tantos territórios e repúblicas (Tchétchénia ...) ?
....
????

Um comentário:

setora disse...

Em tempos de recessão talvez convenha a alguns trazer a guerra para a Europa.